sábado, 3 de outubro de 2009

112L - Segundo Reef

Parte III - Residentes Permanentes

No fim da terceira semana, com o apoio dos testes, certifiquei-me que os parâmetros se encontravam estáveis ao ponto de poder começar a introduzir os habitantes definitivos lentamente tendo, primeiro, removido o melanurus uma vez que não seria um residente permanente. Este voltou para a loja são e salvo. Entre a segunda e quarta semana, desenvolveram-se algumas Diatomáceas ( algas castanhas) na areia e rocha, tendo acabado por desaparecer no fim da quarta-semana com a crescente estabilidade da flora bacteriana. Os vivos introduzidos foram um Signigobius biocellatus, um Lysmata amboinensis e dois Turbos sp. que fizeram um excelente trabalho no controlo das Diatomáceas. Foram introduzidos também mais alguns corais, nomeadamente Zoanthus sp.






Signigobius biocellatus na sua rotina diária de engolir golfadas
de areia em busca de alimento



Os vários padrões e cores fazem deste peixe uma adição única
ao aquário



Signigobius biocellatus - excelente limpador de areia

Pessoalmente acho que a introdução de camarões limpadores são sempre uma mais valia quando queremos ter peixes, por mais pequenos que estes últimos sejam. São estes camarões que proporcionam aos peixes momentos de descontração mas, mais que isso, são um alívio na remoção de parasitas externos que são uma constante na água do aquário. Parasitas da pele, parasitas das guelras, são todos microogranismos que necessitam de ser removidos dos hospedeiros ( peixes) de modo a que estes se mantenham saudáveis, com boas cores e activos. Os camarões, particularmente a espécie Lysmata amboinenses é a mais indicada para estas situações. Convem adquirir camarões pequenos por vários motivos, nomeadamente o facto de que camarões pequenos são camarões juvenis e portanto têm maior facilidade em se aclimatarem a novas águas, novos parâmetros; camarões grandes significam camarões adultos e camarões adultos tanto podem ser jovens adultos como indivíduos velhos, o que resulta numa capacidade de aclimatação mais pobre, bem como o facto de que, se forem indivíduos próximos do fim da sua experança média de vida ( velhos), durarão muito menos tempo nos nossos aquários. De salientar que camarões pequenos ou juvenis são considerados mais convidativos por parte de todos os peixes, dos mais graúdos aos mais miúdos, talvez por uma questão de intimidação reduzida em termos de escala ( um peixe pequeno terá menos receio de se colocar à mercê de um camarão pequeno do que de um camarão grande). Para além do conforto e limpeza que proporcionam aos peixes, estes camarões são também excelentes detritívoros e, claro, oportunistas, comendo todo o tipo de alimento que se introduz no aquário, lançando-se directamente à comida através do seu extraordinário sentido táctil e extrasensorial, conseguidos através dos minuscúlos mas numerosos pêlos que possuem nas patas e das longas antenas. Ambas estas estruturas anatómicas possuem receptores que recebem estímulos exteriores, transmitem-nos por meio de fibras nervosas e conduzem-nos até ao cérebro onde são descodificados, retornando novamente ao ponto de origem com informação para procurar e agarrar esses mesmos alimentos. A sua capacidade para encontrar alimento é tão apurada que torna estes animais em autênticos detectores vivos.


Lysmata amboinensis juvenil




Sessão de limpeza num Centropyge acanthops de 5cm

Para além destes, dois Turbos foram também introduzidos para ajudar no controle das algas Diatomáceas. Estes caracóis são extremamente eficientes neste tipo de algas, deixando um rasto de limpeza por onde passam. A sua introdução convém ser feita de acordo com o tipo de algas a controlar e a sua extensão. Se são colocados demasiados indivíduos ao ponto de haver mais caracóis do que algas, o mais certo é haver competição entre eles pelo alimento, resultando em baixas desnecessárias e perfeitamente evitáveis.


Turbo sp.


Antes


Depois

Em relação aos corais, tenho tentado arranjar algo que se adeque às dimensões do aquário mas também que chame a atenção num espaço tão pequeno, nomeadamente peças pouco vistas e de beleza rara. Não posso dizer que todos os corais neste aquário o sejam mas aos poucos vou corrigindo isso.


Caulastrea furcata " green"; coral comum mas de grande beleza
para pequenos apontamentos quando bem maduro



Zoanthus sp. " Pink"


Zoanthus sp. " Yellow"

2 comentários:

JM disse...

Olá, André!
Então mais um reef?! :-)
Tão simples e tão bonito!
As fotos estão fantásticas! E esse goby também, nunca tinha visto um assim.
Abraço

André disse...

Olá José,

É verdade, decidi temperar o vício com mais uma pitada de sal. :)
Desta vez, converti o plantado em salgado. É pequeno mas dá para colocar uns vivos à escala muito interessantes como é o caso dos góbios e invertebrados.

A ver se arranjo algum tempinho para actualizar o seu estado. Tenho andado um pouco ocupado...

Obrigado pelo teu comentário. É sempre bom receber a tua visita.


Grande abraço